Domingo, 29 de Outubro de 2006

Nota de Humor

Hoje, dia que se foi fechando sobre si mesmo, retirando-nos o sol que,  a quase todos nós, nos retempera a alma, termino com um apontamento de humor mordaz da poetiza e escritora Adília Lopes:

"

Um escritor escreveu uma autobiografia

em que se limitou a contar que ao pequeno almoço bebia café com leite

e comia pão com geleia de laranja

assinou a autobiografia com o seu nome

e nenhuma empregada de supermercado

o importunou

mas depois de ter o livro publicado

sempre que bebia café com leite e comia pão com geleia  de laranja

ao pequeno almoço

sentia-se mal como se estivesse num palco ou num circo

a ter de beber café  com leite  e a ter de comer pão com geleia de laranja

diante dos olhos que abolem a privacidade

e por se sentir assim passou a comer flocos de aveia

                                                                                                        "

publicado por jo às 22:06

link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Outubro de 2006

A SAUDADE E OS NOSSOS CLÁSSICOS

E pois parece que lhes toca mais aos Portugueses, que a outra nação do mundo, o dar-lhes conta desta generosa paixão, a quem sòmente nós sabemos o nome, chamando-lhe saudade, quero eu agora tomar sobre mi esta esta notícia. Florece entre os Portugueses a saudade por duas causas, mais certas em nós que em outra gente do mundo; porque de ambas estas causas tem o seu princípio. Amor e ausência são os pais da saudade; e como o nosso natural é, entre as mais nações, conhecido por amoroso, e as nossas dilatadas viagens ocasionam as maiores ausências; de aí vem que donde se acha muito amor e ausência larga, as saudades sejam mais certas, e esta foi sem falta a razão por que entre nós habitassem, como em seu natural centro.

D. Francisco Manuel de Melo (1608-1666)
Epanáfora Amorosa
publicado por soaresesilva às 13:15

link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Terça-feira, 24 de Outubro de 2006

Contrastes Chocantes

Os milionários do nosso tempo têm casas em todo o mundo, trabalham em mobilidade total, fazem milhares de quilómetros para se divertirem e põem os filhos em escolas internacionais.De acordo com o "World Wealth Report" de 2005, existem agora a nível mundial 8,3 milhões de milionários, mais 7,3% do que no ano passado, detendo bens no valor de 24,6 mil milhões de euros. Além disso, a parte superior desse espectro - aqueles que valem mais de 24 milhões - está a crescer mais depressa.O combustível que alimenta esta elte altamente móvel a nível global -<o dinheiro - não para de chegar. O WWR de 2005 faz notar que há um número cada vez maor de "milionários do mercado médio", executivos de empresas que valem 4 a 24 milhões de euros e que ainda não descobriram o seu poder de compra.

"excerto dum artigo publicado no Expresso de 21 Out 06"

Tomar conhecimento desta realidade galopante é chocante, pois também todos os dias nos confrontamos com noticias dos milhares de desempregados que grassam pelo mundo e, pior,  com os milhões e milhões de SERES que vivem abaixo do limiar da pobreza, quem sabe, se na maioria, não foram vitimas de alguns dos  que têm fortunas ganhas sabe Deus como.

Porquê?????

imagens tiradas da internet

publicado por jo às 06:15

link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
|
Sábado, 21 de Outubro de 2006

A PONTE VELHA


Pont vieux - Nik Wheeler

Entre mim e ti há uma ponte velha
Que o rio partiu num inverno cheio
Faltam mil traves para ligar as margens
Onde eu e tu sentados esperamos

Entre mim e ti há nevoeiros grossos
Que sobem do mar quando a noite vem
Faltam mil sóis para iluminar as margens
Onde eu e tu sentados esperamos

Entre mim e ti há águas profundas
Escondidas dos homens mais longe a pescar
Faltam mil barcos para alcançar as margens
Onde eu e tu sentados esperamos

Luisa Soares e Silva
publicado por soaresesilva às 18:53

link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Outubro de 2006

2 PÊS

Não se perdeu

Não se perdeu nenhuma coisa em mim.
Continuam as noites e os poentes
Que escorreram na casa e no jardim,
Continuam as vozes diferentes
Que intactas no meu ser estão suspensas.
Trago o terror e trago a claridade,
E através de todas as presenças
Caminho para a única unidade

 

Poema de Sophia de Melo Breyner, uma das maiores "poetas" portuguesas

Acrilico sobre tela de Manuela Jara de Carvalho, que, só passadas algumas décadas da sua existência, nos revela a  sua alma de pintora.

 

 

 

publicado por jo às 23:27

link do post | comentar | ver comentários (29) | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Outubro de 2006

DA GUERRA


Foto Luisa

Afinal a Guerra será atávica?

publicado por soaresesilva às 21:50

link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Outubro de 2006

VELHICE

Tal como as folhas são atiradas para a sarjeta,

também os nossos idosos

o seu destino, hoje em dia,

é serem atirados para lares

onde, na maioria deles,

permanem como peças obsoletas num

armazém ao abandono.

Dignifique-se a qualidade de vida destes

seres, que já  tanto deram  à

SOCIEDADE,  AMANDO-OS.

 

 

publicado por jo às 19:13

link do post | comentar | ver comentários (33) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Outubro de 2006

MEDITAÇÕES DE OUTONO


Sandy Woosley

Chove...

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir na chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

José Gomes Ferreira

publicado por soaresesilva às 01:37

link do post | comentar | ver comentários (27) | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Outubro de 2006

5 Outubro

Uma só Península

- a Ibérica -

Dois países

- Portugal -

 

 

- Espanha -

Dois regimes

-um Republicano -

- o outro Monárquico -

Duas Mulheres figuras de referência

- uma 1ª Dama -

-a outra Rainha -

 

Iberismo?

Que semelhanças?

VIVA PORTUGAL!

VIVA A REPUBLICA!

 

 

 

publicado por jo às 21:10

link do post | comentar | ver comentários (27) | favorito
|
Terça-feira, 3 de Outubro de 2006

APAGÃO

 



São deliciosos os serões  que a EDP-Electicidade de Portugal nos proporciona  com os seus "apagões". Não há televisão, não há internet, não há telefonia e muitas vezes não há telefone. Acendem-se velas pela casa e consegue-se finalmente conversar.

publicado por soaresesilva às 21:54

link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Alenquer

. INVERNO

. Feliz Ano Novo

. ANIVERSÁRIO

. Cinismos de Verão

. NEVOEIROS DE SÃO PEDRO DE...

. COMPENSAÇÃO PERANTE A CRI...

. Homenagem a Rafael Bordal...

. CAPARICA

. Páscoa Feliz

.arquivos

. Junho 2013

. Janeiro 2012

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.links

.A última rosa

----
 
 

.Ecosdotempo



blogs SAPO

.subscrever feeds