Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

A SOMBRA

fotografia da Internet

 

Paira sobre o vale
Uma nuvem escura


Já houve crianças
A brincar no vale
Com risos e flores
Sob o céu azul
Sairam crianças
Ficaram rapazes
Ficaram mulheres
Pisaram as flores
O pó foi cobrindo
O vale que era verde


Paira sobre o vale
Uma nuvem escura


Caiu o coreto
Onde havia música
Não há pares dançando
com filhos ao colo
Crianças e homens
Sairam do vale
Ficaram peles secas
Rugas, cicatrizes
Foi cumprido o ciclo
Da vida no vale


Paira sobre o vale
Uma nuvem escura

 

publicado por soaresesilva às 21:46

link do post | comentar | favorito
|
14 comentários:
De skuba a 31 de Janeiro de 2008 às 00:09
Versos bonitos e sabedores... de acordo com o estado de espírito...mas como diz o autor "cumpriu-se o ciclo da vida" e ficam as memórias, as recordações, as vivências!
Uma noite em paz.
mj
De Meg a 31 de Janeiro de 2008 às 18:26
E de repente senti-me transportada a esse ambiente de desolação, com a nuvem escura a a ensombrar as rugas e cicatrizes... até ao recomeço.

Um abraço
De jo a 1 de Fevereiro de 2008 às 00:59
A vida é isto mesmo, só que dito poeticamente, se por um lado à forma que lhe dá beleza ,por outra intensifica dramaticamente o tema. Como sempre gostei muito e não entendo porque a poeta não quis dar mais cedo à luz as suas estrofes. Parabens, luiza, mais um sentido poema.
De Oliver Pickwick a 1 de Fevereiro de 2008 às 03:25
Poesia tocante. Infelizmente os tais dos ciclos têm de ser cumpridos. O que é uma pena, em alguns casos.
Abraços!
De Magui a 1 de Fevereiro de 2008 às 13:54
Isso é uma metáfora?
De Praia da Claridade a 1 de Fevereiro de 2008 às 17:02
Neste bonito poema se pode observar a Vida desde a alegria das crianças, sempre encantadoras, ao desenrolar dos anos, até ao fim do ciclo em que uma nuvem escura faz com que olhemos para trás e a tristeza se pode apoderar de nós. A saudade do passado e a realidade do presente remete-nos muitas vezes a uma dolorosa meditação. Saibamos compreender as cicatrizes da Vida.
De Cöllyßry a 2 de Fevereiro de 2008 às 16:58
Bela poesia,querida amiga

Meu doce beijo
De bitu a 2 de Fevereiro de 2008 às 22:12
Gostei da poesia e da pintura...espero que o dia de amanha e seguintes nao se identifiquem com ela.
jinho e bom carnaval
De maripossa a 2 de Fevereiro de 2008 às 22:51
Querida Amiga. Lindo este poema, o começar do ciclo da vida onde a criança, é a esperança sempre, se começa e fecha o mesmo, assim é comprida a vida Beijinho de amizade
maripossa
De Maria Papoila a 3 de Fevereiro de 2008 às 15:13
Uma bela poesia sobre o ciclo de vida!
Um belo quadro a ilustrá-la!
Um bom momento de leitura.
Beijos

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Alenquer

. INVERNO

. Feliz Ano Novo

. ANIVERSÁRIO

. Cinismos de Verão

. NEVOEIROS DE SÃO PEDRO DE...

. COMPENSAÇÃO PERANTE A CRI...

. Homenagem a Rafael Bordal...

. CAPARICA

. Páscoa Feliz

.arquivos

. Junho 2013

. Janeiro 2012

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.links

.A última rosa

----
 
 

.Ecosdotempo



blogs SAPO

.subscrever feeds